Como Aparecer no Mercado da Arte e ser Reconhecido?

Como ser Reconhecido no Mercado da Arte

Você deseja viver da sua arte? Quer saber como entrar para valer no mercado da arte? Precisa de reconhecimento como artista, mas ainda não sabe o caminho das pedras?




Então vou contar a você os motivos pelos quais esse reconhecimento ainda não aconteceu. Se ficar comigo até o final, também vou dizer como você pode aprender a ser reconhecido no mercado da arte. Mais ainda, vou falar sobre como você pode aproveitar oportunidades que estão diante dos seus olhos, mas que ainda não as enxergou.

Vamos lá!

Às vezes, até entendo por que algumas pessoas abordam um artista e lhe fazem este tipo de pergunta:

− O que você faz da vida, se só desenha, pinta, enfim, cria arte?

Quem questiona não tem consciência de que produzir arte seja um trabalho, uma profissão como todas as demais. Mas quem é questionado – o artista – já pode pensar que sua profissão pode ser tão prazerosa que talvez não seja mesmo considerada trabalho.

Não como o trabalho da maioria dos brasileiros que se refugia em um escritório para, ao final do mês, fazer jus a um salário. Falo aqui de uma jornada fixa, cansativa que tem causado uma onda de estresse e de adoecimento em parte da população.

Claro que quem trabalha no mercado da arte também precisa cumprir prazos, encarar uma jornada de trabalho. Embora tenha de entregar suas obras aos clientes, essa jornada pode ser flexível. Ela permite que o artista concilie sua vida profissional à pessoal, traduzindo-se em uma qualidade de vida mais elevada. Quem não deseja estar próximo dos seus filhos, da sua família e dos amigos?

Usar seu poder criativo e produzir obras para o mercado da arte é o sonho de muitos iniciantes. Considere também um grupo de artistas mais experientes, mas que até hoje não conseguem vender de verdade. Ainda não descobriram o caminho do sucesso vendendo suas obras a um valor justo e para público correto.

O desconhecimento das estratégias que dão certo para os artistas renomados e do próprio mercado da arte nacional dão causa a um ateliê repleto de obras sem ou mesmo com poucos compradores.

Vou citar algumas dificuldades comuns a esse grupo de artistas:

#1 Dificuldade de Mostrar suas Obras Fora do Eixo Rio-São Paulo

Nesse eixo, o mercado da arte está bem consolidado. Muitos artistas de destaque expõem suas obras em museus, galerias e circuitos mais numerosos que os dos outros centros brasileiros. Quem reside em outros estados, priva-se de alguns desses recursos se não souber a maneira correta de enfrentar os desafios que encontram na sua cidade.

#2 Falta de Interação entre os Artistas

O contato entre artistas cria uma rede que beneficia todos que dela participam. A troca de experiência amplia o conhecimento de novas técnicas e materiais. Amplia, ainda, o acesso a contatos que podem significar negócios futuros para todos os engajados nesse grupo.

#3 Não Sabe como Aparecer no Mercado da Arte

Quantos não são os artistas de elevado nível técnico, mas que não vendem um só desenho, uma só tela? Quantas esculturas de valor hoje se encontram em um cantinho do ateliê ou mesmo de um cômodo da casa? Todas elas aguardando alguém que as aprecie e que as valorize, COMPRANDO-AS!

#4 São Artistas, mas muitos não Desenvolveram Habilidades Comerciais

Como resultado, deixam de levar em consideração que seu trabalho deve ser remunerado como qualquer outro. Conheço alguns artistas iniciantes que tem vergonha de oferecer sua arte ao cliente ou cobrar dele o preço justo.

#5 Não sabem Precificar suas Obras de Arte

Há custos diretos e indiretos para que cada desenho, por exemplo, seja produzido. Se você não levar em consideração esses custos, venderá sua produção com prejuízo. Até quando será possível ficar no vermelho antes de fechar as portas?

#6 Desconhece como Conciliar a Profissão Atual com a de Artista

Até você ter condições de realizar seu sonho de viver exclusivamente de arte, é importante dividir seu tempo.  Planeje suas tarefas de modo a aproveitar parte do dia para suas criações ganharem vida. O grande problema é que muitas pessoas não conseguem se programar para a execução de cada tarefa. Acabam se perdendo no caminho.




#7 Conhecimento Limitado acerca da Arte em si e do Mercado da Arte

O fazer artístico requer conhecimento de técnicas, de conceitos que capacitem o profissional da arte a produzir composições mais harmoniosas, coerentes. Conhecimento também é importante para que você descubra como o mercado da arte trabalha, precifica e classifica obras.

Mas você, que quer transformar sua arte em profissão, certamente deseja superar todos esses desafios que citei acima, certo?

Foi pensando em todas essas dificuldades que Denise Mucci viajou o Brasil por mais de cinco anos. Ela buscou entender as dores que mais afligiam alguns dos mais importantes artistas. Desenhistas, ceramistas, pintores e escultores nacionais reconhecidos também no exterior foram entrevistados.

Também conversou com críticos de arte e com curadores, uma espécie de diretor de arte que escolhe obras a serem expostas e acompanha todo o processo de montagem da exposição.

Ela percebeu que os artistas buscavam um espaço para falarem de arte, para darem voz as suas riquíssimas experiências que a vida artística lhes proporcionou. Ansiavam deixar lições de vida, conceitos e estratégias para você aprender a ser um profissional da arte…

… Vivendo dela, apenas dela!

A Denise reuniu 25 dessas autoridades do mundo artístico em um só lugar – o I CADB – Primeiro Congresso da Arte Design Brasileira – totalmente online contando com palestras pra lá de envolventes. Depois de assistir a cada uma delas, sua visão sobre arte será transformada para melhor, ressignificada, assim como aconteceu com a minha e a de centenas de outras pessoas que tiveram acesso a esse material.

E toda essa transformação ocorre porque você vai aprender a:

  • Vender sua arte independente do lugar em que resida;
  • Unir-se a outros artistas para trocar experiências e contatos;
  • Aparecer no mercado da arte da maneira correta vendendo sua produção artística;
  • Ofertar sua arte pelo preço justo;
  • Precificar sua arte para vendê-la sempre com lucro;
  • Conciliar sua profissão atual com a sua carreira artística;
  • Visão de outros artistas, críticos de arte e curadores que beneficiarão você ampliando o leque de atuação no ramo da arte;

O CADB ainda está com valor de lançamento do acesso completo, mas a Denise tem planos de alterar esse valor a qualquer momento, então clica no link abaixo…

Mas só se você deseja aproveitar a oportunidade de…

  • Aparecer no mercado da arte usando as estratégias dos mestres brasileiros aclamados no exterior;
  • Vender suas obras conhecendo ainda hoje como o mercado da arte funciona;
  • Aprender a enxergar a arte com um olhar diferenciado baseado na experiência de 25 artistas, críticos de arte e curadores renomados.

Quem são os Palestrantes

Nelson Muniz • Tácito Fernandes • Caciporé Torres • Ana Durães • Alexandre Murucci • Raimundo Rodrigues • Antonio Peticov • Carlos Muniz • Fernando Ekman • Betto Pereira • Paulo Sayeg • Adauto Machado • Jorge  Calfo• Fred Svendsen • Marcos Amaro • Ronaldo Lourenço • Luiz Cavalli • Everson Fonseca • Marilda Passos • Black Linhares • Carlos Araujo • Paulo Ravagnani • Sérgio Helle • Enock Sacramento • Zélio Alves Pinto

Para saber como ter acesso completo ao Congresso e aos bônus (sim, na página do link, você descobrirá quais são eles. O #3 é imperdível!), basta acessar este link, válido temporariamente para você que nos acompanha.

Ou vai me dizer que vai perder a oportunidade de descobrir os segredos do mercado da arte contados pelos especialistas no assunto? Ou que vai continuar lutando sozinho para se firmar no mercado, tentando ser reconhecido por poucos e vendendo menos do que deveria?

Sobre Ângelo Castro

Criou o Trilhas da Arte para contar ao mundo inteiro que qualquer pessoa pode aprender arte. Tornou-se desenhista aos 40, sem ter nenhum dom, acreditando no conhecimento e na persistência.

Visite meu Site
Ver todos os Artigos
Ângelo Castro
Ângelo Castro
Criou o Trilhas da Arte para contar ao mundo inteiro que qualquer pessoa pode aprender arte. Tornou-se desenhista aos 40, sem ter nenhum dom, acreditando no conhecimento e na persistência.

Pin It on Pinterest

Quer aperfeiçoar seu traço?

   

Receba no seu e-mail dicas e truques grátis sobre desenho

//]]>